Tempo de uma Amizade – Parte 2 – Final

“Uma amizade de longa data... altas informações, companheirismo, momentos de ajuda e tristezas apaziguadas... Tudo ficou para trás.”

Minha mão tremia dentro do ônibus muito mais que o próprio que chacoalhava muito normalmente enquanto me levava pela rua agora estreita após virar na cursa e sair da avenida.

- Anjo - falei comigo mesmo, lendo o remetente da mensagem eletrônica no meu celular. Meu coração pedia arduamente para que eu não abrisse aquela mensagem, por que, ao abrir, eu automaticamente iria lê-la e meu coração dizia que isso iria doer.

Nesse momento, meu caro leitor, eu realmente paro para pensar no por que de eu ser assim. Sempre sei o que vai acontecer, e aceito os fatos que vierem por que são as consequências da minha escolha, e, eu sendo o lobo/homem que sou, tenho o dever de aceitar a consequência de meus atos.

Cliquei na palavra “abrir” na tela e a mensagem se fez mostrar para mim.

“Oi, Lobo, tudo bem com você?” Estava escrito. Meu coração se acalmou, mas um frio subiu pela minhas costas enquanto eu escrevia a mensagem de resposta.

“Oi Anjo, está tudo bem sim, tirando o calor dessa cidade que hoje em especifico está diferente, muito, mas não na temperatura... Como se o lado bom do calor em si fugisse e o que ficasse fosse apenas o lado ruim dele aqui.... Mas e você? Como está? Milagre você enviando uma mensagem de texto, algum motivo tem”.

Cliquei em enviar e meu coração bateu forte novamente. Num piscar de olhos a mensagem resposta havia chegado. Não tive tempo nem mesmo de sentir o ônibus andar pela rua. Novamente apertei a palavra “abrir” e a mensagem apareceu para mim e logo comecei a lê-la.

“Eu estou bem... Mas já tive dias bem melhores lobo...É incrível como este mundo está uma merda.... Não suporto mais ficar aqui e pedi ao meu pai que me deixasse ir embora deste mundo... Não quero mais ficar nele... Não quero aprender mais sobre ele, muito menos quero cuidar dele... Nesta última quase obrigação que querem me dar, eu recomendei você para esse serviço... Com certeza você faria ou fará ele muito melhor que eu... Eu quero apenas ir embora daqui e levar a minha mãe humana e talvez meus irmãos humanos comigo... Estou esperando um mensageiro trazer a resposta agora, enquanto falo com você.”

Senti meu coração bater muito forte já enquanto lia a mensagem, após terminar então. Comecei a soar dentro do ônibus enquanto me batia uma vontade de chorar. Muitos sentimentos e emoções transbordavam por mim e eu não entendia o porquê. Eu apenas voltava a escrever a mensagem de resposta a ele, e quase que inconsciente, da maneira mais sincera possível.

“Eu te entendo... Esse mundo está realmente uma droga... Somos obrigado a viver uma vida que não queremos... Fazer o que não desejamos só para ter uma moeda de troca supervalorizada, para assim, talvez, podermos ter uma vida mais ‘humana’... Entre outros problemas... De fato isso aqui precisa de muitos acertos... Mas você falou de mensageiro? Veio um aqui agora pouco me entregar uma espécie de pedra, feita de energia que pode realizar desejos... Ele disse que veio entregar para mim por que eu saberia bem como usa-la... Eu não entendi direito tudo isso”.

Mandei a minha resposta. Eu realmente sabia que essa resposta não seria a melhor, mas é a mais sincera possível.

Nesse momento, eu pude ter um breve momento para me sentir, e sentir tudo ao meu redor. Mesmo sendo um ônibus, eu sentia frio e chuva. Iria chover neste dia, agora a tarde ou durante a noite. Mas iria chover, eu estava certo disso.

A resposta veio cerca de dois minutos depois da minha. Ele leu rápido, e escreveu mais rápido ainda. Logo abri e comecei a ler novamente.

“Como assim ele foi até ai?! Por que ele te entregou?! Como eles puderam fazer isso comigo... Então eles querem me desafiar?! Só pode ser isso! Só pode…”.

Nesse momento eu senti as lágrimas dele em mim mesmo. Tive de fazer muito esforço para não chorar junto com ele e voltei a ler.

“Eles não podiam fazer isso comigo... Ele sabem o que eu passo aqui! Eles sabem que quero voltar para junto do meu pai.... Eles me temem com medo que eu vire um novo você-sabe-quem e insistem em me manter nesse mundo e me dar funções e trabalhos! Eu não quero mais... Mas pelo menos a pedra está com você... Posso ir busca-la ou você pode trazê-la até mim lobo...?”.

Terminei de ler.

Apertei o meu celular com força enquanto respirava fundo, deixando escapar uma lágrima pelo meu rosto e começava a escrever novamente.

“Não posso... Por que eu a quebrei em partes e... Já distribuí algumas.... Anjo…”.

E enviei.

Fui curto e grosso, mas tentei demonstrar que não estava nem um pouco feliz com a situação. A resposta dele veio mais rápida que a anterior.

“Por que você fez isso?! Você não percebeu todo o potencial que isso tinha?! Você sabe o quão difícil é conseguir uma dessas?! Ou o preço que isso custa?! Maldito mensageiro.... Vou me certificar que ele pague por isso... E seja lá quem tenha falado para entregar para você também! ... Todos querem me ver assim.... Nervoso, com ódio. Pois que seja! Vou atrás de cada pedaço que você fez, vou junta-las e vou realizar o meu desejo de ir embora daqui! E ainda diziam que tinham medo de quem eu poderia me tornar você-sabe-quem... Todos eles... E você lobo.... Me entregue o que ainda tem.”.

Rapidamente comecei a escrever a minha resposta para ele. Eu não queria ter lido isso. Eu não iria imaginar uma coisa dessas na vida.

“Você está me ameaçando Anjo? Só por que você é uma protegido do pai? Você realmente acha que eu vou obedecer a uma ordem sua só por que você é literalmente um anjo que está aqui? Nós somos amigos de longa data e nunca mandei em você como você nunca mandou em mim, e agora que está nervoso quer mandar? Pois saiba que não. Não vou te dar. Se eles me entregaram falando que eu saberia como usar, então a pedra ficará comigo, pelo menos o que ainda sobrou dela. E se você realmente quer realizar o seu desejo, estarei esperando por você quando você vier buscar... Anjo.”.

Enviei, meu coração, machucado com a ofensa e mais ainda com a situação que estava a minha volta.

Não, eu não queria brigar com ele, mas não podia entregar assim também. No nosso mundo, tudo tem um preço.

A resposta chegou.

“Que assim seja, FelipeLobo. Vou ir atrás de cada pedaço, esteja aonde estiver. Esteja com quem estiver. Não importa a função que ela tenha adquirida. E depois que eu tiver os pedaços que você espalhou, irei atrás você. Até um dia no futuro, FelipeLobo.”.

Não aguentei e comecei a chorar enquanto escrevia a última resposta.

“Estarei esperando, Semi-Anjo. E não, não vou chama-lo pelo nome por que não preciso disso. Não preciso intimidar. Apenas estarei esperando muito bem preparado para brigar ou enfrentar um antigo amigo um dia. Até um dia...”.

Enviei e desliguei o aparelho celular chorando, mesmo sabendo que nenhuma resposta viria ou mesmo duvidando se a minha chegaria a ele algum dia. Mas agora, estava tudo acabado. E quando olhei para frente, tive de levantar correndo para não perder o ponto de ônibus. 

Assim, a vida continuou... Por enquanto. 

"Cada Passo que damos... Cada escolha que damos... Nos guia para outras opções que também irem escolher... E cada uma delas terá uma surpresa... Seja boa ou ruim... A minha parte eu fiz... Abrindo cada porta que me foi dada... Quero apenas que você seja feliz... Só isso... No Final…".
Reações: