Pois é galera, só falto uma postagem minha, um one-shot. Não só postei o one-shot como também estou fazendo uma homenagem ao melhor cantor e compositor de todos os tempos, e junto com ele o seu grupo. Não falo nada mais, nada menos, que o melhor e mais queridos (pelo menos por mim) LEGIÃO URBANA.

Dado Viciado
Legião Urbana
-Olha só para você Dado. Está péssimo, fica se drogando. Não tem jeito, você vai acabar se matando assim. Tem mais noção nas coisas não? Você não tem heroína, então usa Algafan. Tem noção do que isso pode fazer? Isso...
-Para de encher o saco, velha. Fica me enchendo o saco. Cruz credo, para com isso. Ô neura desgraçada. Eu sei do perigo. Porra. Mas eu quero usar, eu gosto de usar. Foda-se se eu vou morrer ou não. Só quero usar!
-Então usa só você, não leve os outros. Você viciou os seus primos, talvez sua irmã. Colocar anfetamina na comida? Isso podia mata-los. E quer saber? Vai usar bem longe daqui aqui não tem Village, Rua 42. Some pra bem longe daqui, eu te amo muito filho. Mas assim, não rola. Cai fora, quando melhorar, volta.

Posted on 21:51 by Marcos Valença

Sem comentários

Hey galero ;) Bem, aqui está a continuação de O Fantasma De Você. Encarem isso como uma mini-série ou sei lá, mas bem, espero que gostem.


A VIDA DE TRAGÉDIAS IRÁ TE MATAR

                Bianca não acreditava em Deus. Para ela, uma Grande Presença Divina era das mais puras bobagens: sempre cética, preferia acreditar nos livros que levava embaixo dos braços do que num velho ditando trechos da Bíblia, sem base em nenhum conhecimento cientifico e muitas vezes incoerente. Pelos primeiros dezessete anos de sua vida, aceitou esse fato sem problemas; mas não agora.

Posted on 20:42 by Yuri Costa

1 comentário


Capitulo 7
Wonderland
“Você realmente quer saber sobre tudo? Como fazer tais coisas e muito mais? Se sim, vá até o final do bairro. Existe um monumento lá. Partindo dele ande para o nordeste norte até sumir até desaparecer de vista. Já é seu primeiro passo, consiga me achar por lá e eu começo a te ajudar ensinar. Só tem até amanhã para decidir, ou nunca mais terá a chance, estarei no local de 14 até às 17 horas, nem 1 minuto a mais, nem 1 minuto a menos. Só até àquela hora.
Ass: Você sabe de quem”

Posted on 21:14 by Marcos Valença

5 comentários

Oi galero, ok, eu esqueci de postar ontem. Era pra hoje ser aquele dia de folga, sem contos, sabe, mas acho que não seria justo ficar dois dias sem postar por minha culpa. Enfim, esse será o post de hoje/ontem, amanhã tem Profanis e terça tem a continuação desse conto xD

O FANTASMA DE VOCÊ

Hoje, eu tive muitas dúvidas e poucas respostas, enquanto meu corpo jazia inerte - por um fio, vivo -, respirando apenas pela questão da física. Como pode o sangue ser tão cruel de continuar a correr em nossas veias, e o cérebro tão racional de continuar funcionando, quando tudo o que quero é simplesmente... silêncio? Morte, para os leigos. Pois já estou cansada de saber que a vida não para quando o corpo deixa de funcionar, mas sim quando a mente o faz - alguns tem a sorte de que ambos aconteçam simultaneamente, mas eu não. E estou travada nessa semi-vida, entre a escuridão dos humanos e a luz dos mortos, já há incontáveis tempos.

Posted on 10:53 by Yuri Costa

Sem comentários

E então galero, aqui está o capítulo 51 de SILENCIAR. Como prometido, nos próximos dias serão postados um conto diariamente, com exceção de segunda que tem Profanis. Quem ainda não viu o primeiro conto, é só clicar aqui. Anyway, fiquem aí com o 51 ;)


51

Ode À Minha Família

Ode To My Family - The Cranberries

- INICIO -
NOME DA PACIENTE: Nathalia Carolina Rodrigues
DATA DE NASCIMENTO: 02/11/1994
PARENTESCO: Mãe falecida e pai ausente
DATA DE CONSULTA: 08/11/2010, 16h
CASO: -
OBS.: Primeira consulta. Pagamento pelo INSS.

Dr. Angélica Costa

Posted on 16:34 by Yuri Costa

4 comentários

AEEEEEEEEEEEE GALERO, hoje, dia 23 de junho de 2011, completamos um ano de H&B. Um ano desde que decidimos postar SILENCIAR, besteiras e tantas outras coisas... Um ano que vocês tem acompanhado de perto ;)

Bem, não sou lá muito bom com discursos (quem leu o inicio desse texto percebe), então vou logo para a parte boa: nessa semana, será postado diariamente pelo menos um texto. Amanhã será postado SILENCIAR e segunda será postado Profanis, como sempre, porém, hoje, sábado, domingo, terça e quarta serão postados pelo menos um textinho, um one-shot, que, quem sabe, no futuro, possa ter continuação xD

Então, sem mais delongas, aqui está, o primeiro texto. PARABÉNS, H&B, E OBRIGADO A TODOS QUE TEM NOS ACOMPANHADO ATÉ AQUI! E FIQUEM LIGADOS (isso foi horrível) POR QUE LOGO MAIS FAREI UM GRANDE ANUNCIAMENTO SOBRE O FUTURO DE SILENCIAR!

Posted on 19:14 by Yuri Costa

Sem comentários

Capitulo 6
O dia seguinte


Já havia se passado uma semana desde que o acidente aconteceu. Para evitar perguntas Felipe havia apagado a memoria das meninas, só deixara a de Yuri. Queria que ele se lembrasse. Passou quase que toda a semana sem dormir pensando no que o antigo treinador havia falado para ele. Toda a verdade? Toda a verdade para o homem? Ou simplesmente havia mentido? Não sabia, mas uma coisa era certa, aquilo lhe causava uma duvida desgraçada.
Já era segunda. Chegou à escola com a mesma cara de sempre, havia pouco movimento no primeiro andar, aquilo o incomodou, lá nunca ficava vazio. Foi subindo, e conforme foi chegando a sua sala o movimento ia crescendo. Olhou para a sua sala, a mais do canto, estava lotada de pessoas. Não gostava daquilo, odiava lugares cheios, ainda mais na escola. Ainda não havia avistado Yuri nem as meninas.
Parou na porta de sua sala, sentiu uma sensação estranha. Estranha, porém conhecida. Abriu um sorriso falso. Olhou para sua sala e fechou a mão. As pessoas que estavam à frente começaram a sair de sua frente. Uma pessoa lá de dentro olhou para ele e sorriu. Todas as garotas estavam em volta dele, aparentemente ele era o sonho delas. Possuía olhos verdes, pele brancas, cabelo castanho, era alto e com um tipo físico que as garotas se derretiam ao olhar. Felipe sorriu de volta, não esperava vê-lo por ali, então disse:

Posted on 20:03 by Marcos Valença

2 comentários

50

Um Mito Moderno

A Modern Myth - 30 Seconds To Mars

            Já estava acordada há horas. Lágrimas secas, expressão vazia. Há tempos encarava a janela, aberta à paisagem cinzenta, chuvosa. O frio que lhe chicoteava a pele não tão incomodo - quase que gostava. Quase lhe causava calor, tanta a tristeza que sentia. Tanta frieza que se abatia sobre si.

Posted on 16:52 by Yuri Costa

5 comentários

E aew galera, tranquilo? Tipo, não consegui escrever um cap. de profanis, muita coisa pra fazer, então, vou postar aqui um one-shot que eu tenho salvo faz um tempinhos que eu fiz... Fiquem com o one-shot


Psicanálise
Estava um silencio melancólico naquele ambiente. Ficavam olhando um para a cara do outro. A sala já tinha certo tom melancólico. A parede era branca, a luz estava apagada, os brinquedos na prateleira e alguns jogados ao chão. A garota estava sentada na única janela que tinha ali, o que parecia loucura já que estavam no 27º andar. O homem parecia não se importar, estava sentado em uma poltrona com um puzzle de sudoku a mão e na cabeceira ao lado tinha uma garrafa de água com uns comprimidos ao lado. Ambos estavam em absoluto silencio.

Posted on 21:00 by Marcos Valença

Sem comentários

Oi galero ;) Não sei se vocês viram, mas adicionamos uma barrinha de jogos no menu principal ali do lado xD Por enquanto, temos só aquela guitarra do google, mas logo o Marcos vai postar novos. Bem, curtam o capítulo ;)


49

Ficção

Fiction - Avenged Sevenfold

            Seu aniversário já havia passado. E Nathalia passara todo o dia encarando aquela cama, sentada numa cadeira de plástico branca, arranjada às pressas, de tanto que bateu pé. Não era lá muito confortável, nada comparado à sua própria cama, mas bastava. Não era conforto o que procurava. Na verdade, não procurava nada. Queria apenas observar sua mãe, e estar ao lado dela quando acordasse.

Posted on 17:05 by Yuri Costa

7 comentários



Não há muito o que falar, só que..... Parabens Les Paul.

Posted on 21:00 by Marcos Valença

2 comentários

Capitulo 5
A canção do senhor da guerra – Legião Urbana

Marcos jogou o celular no chão, foi até a porta. Olhou para o céu, era lua nova. Irônico. Fora o que pensara assim que viu a lua. Começou a correr até a tal rua, não sabia onde era exatamente, mas sabia que era um pouco distante dali. Começou a correr, então Guilherme entrou na frente dele e o parou, então ficou o encarando e disse:
-Você realmente está pensando em ir lá?
-Claro que estou.
-Você ouviu o cara, tem faxineiros lá, ninguém quer ir de frente contra eles.
-Eu não ligo.
-Como não?! Eles matam qualquer um que sejam ordenados, poucos os que eles não matam, e só uma pessoa que eles não podem lutar e esse alguém é...
-Os superiores deles, ou, o ex-superiores.
-Pois é, eles trabalhavam diretamente para os manda chuva. Quer mesmo ir contra isso?
-Guilherme, eu nunca te falei?
-O que?
-Eu sou um ex-superior, até eu sair. Eu era um. Ah sim, eu sei que você também é um, você se tornou assim que eu sai. Realmente acha que foi coincidência?
Guilherme fica paralisado e encarando aquele momento, então fala:
-Eu não posso ser visto com você. E os outros superiores são a quem eles devem mais lealdade. Se os outros deixaram a ordem que é para matar qualquer um que não seja quem eles não queiram, eles vão matar.
-A não ser que sejam mortos primeiro. Ou...
-Ou...
-Que não enfrentemos eles.
-Como?
-Você vai ver.
Então continuaram a correr, Guilherme não conseguia ver ele como um superior. Geralmente eles eram frios e secos, nem com eles mesmos tinham amizade. Mas Marcos criou um laço de amizade com ele, mesmo que uma amizade distante era uma amizade.

Posted on 21:53 by Marcos Valença

Sem comentários

Oi galero ;) Não sei se vocês perceberam, mas esses capítulos tem todos tido títulos baseados em musicas da banda My Chemical Romance. Bem, se perceberam, vou explicar: como SILENCIAR já está no fim, eu acho que poderia ter rolado uma homenagem (mesmo que pequena como esta) à algumas bandas que me inspiram, e alusões à músicas não contam viu. Mas então, todas essas músicas vem de um único CD: The Black Parade, que é um dos melhores da banda, só perde para Danger Days. Mas enfim, esse é o último capítulo homenagem ;)



48

Desencantado

Disenchanted - My Chemical Romance

NOVEMBRO
O despertador tocou pela milésima vez.
Nathalia gemeu, em protesto, acordando finalmente de seu sono. Pressionou seu corpo contra o de Yago, e abriu um sorriso. O frio do inverno de Costa Valença os impedira de suar, tanto na noite anterior quanto nessa manhã.

Posted on 16:19 by Yuri Costa

5 comentários